[15/04/2018 – 9h às 12h] Feira de Trocas de Livros Espíritas

Convite_FEIRA DE TROCA_2018 (1)

Feira de Trocas de Livros Espíritas no Parque da Cidade

No dia 15 de abril, o Grupo de Divulgação da Doutrina Espírita (GruDDE) realizará a 14ª edição da Feira de Trocas do Livro Espírita no Parque da Cidade.. A Feira ocorrerá das 9h às 12h em estande próximo à Administração do Parque (estacionamento 13).

No estande da feira, cada livro entregue dá direito à troca por outra obra. Os frequentadores poderão encontrar obras de autores de renome no Espiritismo, como Chico Xavier, Carlos Bacelli, Divaldo Franco, entre vários outros.

 O GruDDE

 O GruDDE existe há 22 anos e realiza atividades tanto para o público espírita quanto para aqueles não ligados à doutrina. Além das feiras de trocas do livro espírita, são exemplos dessas atividades a realização de seminários, oficinas e cines debates.

 Serviço

Feira de Trocas do Livro Espírita
Domingo, dia 15 de abril de 2018
Das 9h às 12h
Parque da Cidade, próximo à Administração (estacionamento 13)
Promoção: GruDDE – Grupo de Divulgação da Doutrina Espírita.

Contato: Henrique – 981430126

Anúncios
Publicado em Agenda | Deixe um comentário

Carta de Eventos do GruDDE 2018

Saiba mais sobre as oficinas que estão sendo oferecidas pelo GruDDE para 2018:
O seu Centro acolhe bem?
Capacitação para voluntários e/ou funcionários da Casa Espírita para a recepção do público em todos os seus serviços (biblioteca, livraria, balcão de atendimento, etc.)
Conviver Melhor
Através de vivências e dinâmicas, fortalecer as relações interpessoais dos grupos espíritas, facilitando o relacionamento e a comunicação na rotina das atividades desenvolvidas em equipes.
Produção Cultural
Assessoria às Casas Espíritas na criação e planejamento de eventos culturais, como Cine Debates, Feira de Trocas de Livros Espíritas, etc. Informações e conceitos importantes para o sucesso de seus projetos.
Dimensões da Sexualidade
Oficina direcionada a pais, jovens e evangelizadores do Centro, proporcionando reflexão e diálogo sobre a sexualidade à luz da Doutrina Espírita.
Clique aqui para preencher o formulário de solicitação de oficina.
Publicado em Agenda | Deixe um comentário

Jóias do cotidiano

1

Fonte: Google.

Quando a filha completou 15 anos, Laura resolveu presentea-lá com uma jóia de família, contou a ela como e quando foi adquirida e principalmente sua significação afetiva passada de geração em geração. Taty achou o assunto um tanto intediante, gostou do presente mas não compreendeu os sentimentos nele agregados. Costumava usar sem preocupação, até que certo dia se deu conta que a tinha perdido, ainda sem avaliar a importância do ocorrido, preocupou-se com a reação da mãe e fez de tudo para disfarçar a perda, dizendo que em um momento mais apropriado voltaria a usá-la.
Os anos seguiram e o assunto da jóia ficara esquecido no passado, Taty agora com 35, estava na noite de seu casamento. Ao olhar-se vestida de noiva recordou da perda de outrora e do quanto gostaria de tê-la neste instante, lembrou de fragmentos da história que a mãe havia contado, e se arrependeu de não ter mensurado à época a importância do gesto materno. Vendo a filha pronta, Laura emocionada ofereceu-lhe um presente para que recordasse este momento tão  significativo. Qual foi espanto ao ver que tinha em mãos a jóia de família que havia descuidado na  juventude. Sem conter as lágrimas, perguntou como poderia ser possível!? Laura esclareceu que lhe dera uma réplica para ver como cuidaria, ao perceber a perda constatou que Taty ainda não estava preparada para tal responsabilidade, e aguardou quando verdadeiramente pudesse entender o valor sentimental presente naquela jóia.
Semelhantemente Deus nos presenteia no decorrer da vida e como adolescentes distraídos e imaturos perdemos chances importantes em nossa existência, sem compreender a afeição contida nestes processos. Porém, paciente e amoroso, Deus aguarda dez, trinta anos ou mesmo outras encarnações para colocar as mesmas oportunidades em nossas mãos…
E agora, estamos suficientemente prontos para valorizar nossa jóia de família?

 

Por Alexandra Paes

Publicado em Reflexões, Textos Doutrinários | Deixe um comentário

Sobre amor e relacionamento…

A pergunta 298 do livro dos espíritos, cap. VI, entitulado vida Espírita afirma que não existe uma outra metade para me completar! Sou inteira! E quanto mais evoluída mais saberei amar.

Vai por água abaixo a teoria de que eu seria metade de uma laranja e teria que achar uma metade perdida por aí! Ainda bem! Por estas e outras o Espiritismo me fascina.

Não preciso de alguém para ser feliz! Mas posso fazer alguém feliz e com isso me sentir completa. É muito bom também saber que não preciso ter um namorado, noivo ou marido, até mesmo uma namorada, para dedicar minha potência de amar. Posso distribuir meu sentimento amoroso com todo aquele que fizer parte de minha existência.

Amar sem pensar em posse, em egoísmo, em ciúme e exclusividade. Amar pelo enorme prazer que isso pode me dar. Amar tanto que liberto o outro de qualquer compromisso de se comprometer em um relacionamento de obrigações. Os relacionamentos passam a ser aceitação de quem é o outro verdadeiramente. com sua luz e sua sombra ainda a ser iluminada.

Por isso, precisamos produzir, criar, enriquecer nosso mundo interior para encantar a quem encontrarmos nesta e em todas as vidas que vivemos.

No livro, Criando União, encontrei uma aifrmação que muito me marcou: “Os relacionamentos satisfatórios refletem o grau de união interior de uma pessoa.”

Então, se nós não conseguimos nos juntar aos outros, existe desunião dentro de nóa…

Não é vergonha desejar ser amado.

Amado, não aprovado ou idolatrado. amados pelo que somos e pelo que ainda seremos quando vencermos nossas falhas. É fundamental que tenhamos tolerância e respeito ao grau de desenvolvimento de cada espírito que encontramos.

Ao exigir sempre do outro sem partilhar nossos bons sentimentos, é não assumir nossa responsabilidade no sucesso dos relacionamentos, é adiar nosso encontro com a felicidade.

Por Patrícia Braga

Publicado em Reflexões | Deixe um comentário

Oficina “Acolhimento na Casa Espírita”

E ontem foi dia de mais uma animada Oficina, solicitada pelo Centro Espírita Maria Madalena(CEMA) de Planaltina-DF. O tema foi “Acolhimento na Casa Espírita”. Através de dinâmicas e apresentações falamos sobre como receber bem e com carinho os irmãos que buscam auxílio e consolo nas Casas Espíritas. Uma oficina voltada não somente aos Atendentes e Recepcionistas, mas a todo trabalhador da Casa que se dispõe a trabalhar na causa do Cristo! Uma tarde muito agradável! Se quiser agendar uma de nossas Oficinas acesse https://grudde.com.br/, procure nossa Carta de Eventos.

Publicado em Agenda, Eventos | Deixe um comentário

Simples assim!

Simples

Fonte: Google

Quando leio o trecho “Olhai os pássaros do Céu”, do Evangelho Segundo o Espiritismo, sempre penso sobre a necessidade que temos do glamour nos acontecimentos de nossas vidas.
Gostamos do arroubo das emoções e dos gestos.
Não damos muito valor ao que não é arrebatador.
Queremos paixão, alegria, raiva, e até tristeza com intensidade. Parece que só assim tem valor e é significativo.
Queremos exagero! Festa com 300 convidados, carro do ano, restaurantes da moda, roupas de marcas famosas, viagens distantes, residências enormes…
Não estamos satisfeitos nem na Casa Espírita. Se o passe não tem o tempo que desejamos, dizemos que foi “fraco”, se a incorporação é discreta, parece que não houve atendimento.
Quase pedimos desculpas quando acreditamos que algo é pequeno, menor, simples.
Dizemos:
“- Não é presente. Só uma lembrançinha.”
“- É só uma visitinha rápida…”
Desmerecemos gestos de tanto carinho somente por serem singelos.
Até o brigadeiro, meu docinho preferido, gourmetizaram!
Não conseguimos entender que a felicidade não desequilibra. Ela é percebida com nosso bem estar e não em nossa euforia.
Não nos envergonhemos das tarefas simples. Fazer um bolo, vender artesanato, ler um livro, dar uma caminhada, oferecer o ombro a um amigo, sorrir….
Em tempos de crise, onde uma onda de desânimo e medo assola nossa rotina, vamos fazer por merecer. Tomar atitudes e parar de reclamar. Ver que o menos é mais!
Pequenos passos dados em busca de nossa melhora pessoal serão degraus importantes em nossa evolução.
Sejamos verdadeiros e inteiros em nossas tarefas. Por mais simples que elas sejam.

Patrícia Braga

Publicado em Reflexões | Deixe um comentário

Cão amor!

Fonte: Dogslife

Eu adoro cachorro, mas não pude ter um na infância, alegrava-me com os das minhas amigas. Dois cães foram memoráveis, deixando doces lembranças, tão vivas como se meus tivessem sido! Amo esses lindos amigos  que dedicam amor incondicional, em qualquer hora e a qualquer pessoa, o carinho de um bichinho de estimação por nós conforta a alma e amolece o coração. Pensando nisso venho falar da importância  de refletir ao adquirir um novo membro na família, planejando com discernimento se tudo em nosso lar e em nossas vidas atenderá satisfatoriamente às necessidades dele, em que pese o espaço apropriado para cada temperamento de raça e também adaptação de acordo com sua rotina, se terá condições de proporcionar alimento, saúde e atenção para a nova companhia. Coisas assim parecem óbvias, mas passam despercebidas quando apenas nos encantamos com sua fofura sem pensar a longo prazo. Absurdamente, o índice de abandono de animais de estimação é muitíssimo elevado, principalmente nas épocas de férias, quando sem ter com quem nem onde deixar o bichinho, este é relegado à própria sorte em qualquer esquina como coisa descartável!
A responsabilidade abrange todos os seres que estão sobre nossa tutela, tudo que envolve acolhimento exige comprometimento. Amar requer tempo, seriedade e dedicação, faz parte do crescimento evolutivo saber cuidar das dádivas dadas ao nosso encargo por Deus. Não TENTE ter um cachorro, gato ou outro animal doméstico, tenha antes CERTEZA que será a proteção e o amparo de que ele tanto  necessita!

downloadfile

Nesta obra, Marcel Benedeti aborda informações sobre a alma dos animais, a evolução do Homem passando pelo reino animal, a inteligência, a sensibilidade e a mediunidade desses seres especiais. Com o objetivo de desfazer dúvidas, ‘Os Animais Conforme o Espiritismo’ pretende mostrar uma série de argumentos encontrados nas obras de Allan Kardec, acompanhados de um comentário explicativo.(Fonte: Google Books)

Por Alexandra Paes

Publicado em Reflexões | Deixe um comentário

Falar ao vivo

Resultado de imagem para dialogar

Fonte: Google.

“A quem mais amamos, menos sabemos falar.” (Provérbio inglês).

Este provérbio veio-me com ensejo para aprofundar o distanciamento advindo  da facilidade tecnológica. Hoje contactamos alguém rapidamente, compreendo seu lado benéfico quando ajuda em possíveis soluções para determinadas questões, mas quando me atenho no cenário interpessoal minha opinião em relação ao imediatismo tecnológico torna-se um tanto antipática. A instantaneidade com que dizemos coisas via redes sociais, e a superficialidade com a qual nos relacionamos nestes meios me assusta, até por vislumbrar os conflitos gerados com tanta impulsividade.
A aproximação física proporciona uma série de reações corporais que a mente interpreta imediatamente criando dados que conceituam uma pessoa. Ao eliminarmos tal processo a análise restringe-se em como ela se expressa textual ou graficamente, percepções subliminares perdem-se extinguindo a fala, excluímos parte importante da personalidade.
Ao menor contato íntimo travamos no cárcere criado por telas e teclas, sem saber como proceder em uma comunicação sem likes ou emotions, por completa inabilidade em declarar sentimentos ao vivo, olhos nos olhos. Tanta proximidade internética, ainda que constante, atrofia a beleza da troca de impressões e energias que só um bom diálogo em loquo pode gerar! Consequentemente agiganta-se o pavor de revelarmos quem somos abertamente, impossibilitando que o verdadeiro afeto se manifeste, ao ponto limitante de ocultar sentimentos, bloqueando sensações e por fim frustrando verdadeiras relações.
Quem sabe a solução para este entrave seja economizarmos caractéries e esbanjarmos abraços presenciais para assim equilibrar nossa dose necessária de aproximação e afeição, refiro-me àquela na esfera da realidade. É preciso dizer que se ama sem subterfúgios, palavras saindo dos lábios e do coração. Tudo convivendo em perfeito equilíbrio para uma vida saudável em toda sua amplitude!

386. Dois seres que se conhecem e se amam podem se encontrar em outra existência corporal e se reconhecer?
– Reconhecer-se, não; mas podem sentir-se atraídos um pelo outro. Freqüentemente, as ligações íntimas fundadas numa afeição sincera não têm outra causa. Dois seres aproximam-se um do outro por conseqüências casuais em aparência, mas que são de fato a atração de dois Espíritos que se procuram na multidão.
 
386.a Não seria mais agradável para eles se reconhecerem?
– Nem sempre; a lembrança das existências passadas teria inconvenientes maiores do que podeis imaginar. Após a morte, se reconhecerão, saberão o tempo que passaram juntos. (Veja, nesta obra, a questão 392.)
 
387. A simpatia vem sempre de um conhecimento anterior?
– Não. Dois Espíritos que se compreendem procuram-se naturalmente, sem que necessariamente se tenham conhecido em encarnações passadas.

388. Os encontros que ocorrem, algumas vezes, e que se atribuem ao acaso não serão o efeito de uma certa relação de simpatia?
– Há entre os seres pensantes laços que ainda não conheceis. O magnetismo é que dirige essa ciência, que compreendereis melhor mais tarde.
Livro dos Espíritos, Parte Segunda, Capítulo 7 – Retorno à vida corporal

por Alexandra Paes

Publicado em Reflexões | Deixe um comentário