O Centro Espírita e o acolhimento

acolhimento

Imagem: Autor desconhecido.

“Os Centros Espíritas precisam ser refúgios de reconforto e não tribunais condenatórios”

Nazareno Tourinho

Livro : Relações humanas nos Centros Espíritas

Muito me preocupo com a tarefa de acolhimento a quem chega ao Centro Espírita e com a divulgação da Doutrina espírita.

Algumas vezes, na sede de ajudar os ouvintes de uma palestra a corrigir seus erros, oradores esquecem-se da ternura e da misericórdia que Jesus exemplificou em sua passagem pela Terra.

Na recepção do Centro Espírita, precisamos ter trabalhadores bem informados sobre as tarefas ali desenvolvidas. Mas, deverão ser, também, trabalhadores de sorriso fácil, afáveis e energeticamente harmoniosos. Isso acolhe bem tanto quem sofre como os amigos espirituais que acompanham a quem adentra o Centro Espírita.

Quando buscamos uma Casa de Oração, queremos ser ouvidos, respeitados, amados… Muitas vezes é só lá que não estamos sozinhos – fisicamente, é claro.

E como fazer um acolhimento verdadeiro?

Estudando, orando e abrindo nossos corações a todo aquele que nos procure. Desejando, verdadeiramente, que o nosso companheiro tenha a oportunidade de conhecer a Doutrina que, um dia, foi nosso conforto e nos deu um novo sentido à vida.

Patrícia Braga

Anúncios
Esse post foi publicado em Reflexões. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s