O que importa é o Amor – Marcelo Cézar

O que importa é o amor
Título: O que importa é o Amor
Pscicografia: Marcelo Cezar
Ditado por Marco Aurélio
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 396
Edição: 1ª (6ª reimpressão)
Sinopse:
Magnólia é uma mulher que, como muita gente, enxerga a vida de maneira negativa. Atormentada por seus medos, preconceitos e maledicência, é incapaz de enxergar a beleza da vida. Ela não percebe que tudo aquilo a que dá importância, seja bom ou ruim, passa a fazer parte do seu dia a dia. Quando acredita na força do mal, está alimentando essa energia dentro dela. Sob essa influência, o medo anula sua ousadia, cria empecilhos para seu progresso, atraindo tudo o que Magnólia mais teme.
Contudo, o mal é temporário e a evolução é fatal. A vida transforma erros em experiência e melhora o nível das nossas escolhas. Aprendemos que só o bem é real e capaz de nos proporcionar uma vida melhor. Magnólia entendeu essa verdade e descobriu que a coragem e o amor verdadeiro são essenciais para a conquista da felicidade.
Considerações:
Os livros de Marcelo Cezar costumam prezar por uma linguagem atual e que flua bem. Este mantém o padrão em terminei em algumas horas. Os personagens se desenvolvem com um pouco de complexidade (não muita), mas o suficiente para que a história tenha um encadeamento lógico. O livro passa do ponto ao repetir incessantemente as lições sobre pessimismo e negatividade, talvez uma tentativa de reforçar muito a importância de orar e vigiar os próprios pensamentos, o que me deixou muito tentada a pular partes de alguns diálogos, especialmente as da Magnólia. Fiquei tentada mas resisti bravamente e li cada uma das muitas lições direcionadas às “Magnolias” da vida.
Mas se o livro peca pelo excesso na primeira parte, ele compensa quando o foco da história passa para a “nova geração” cujos personagens se revelam muito interessantes, mais complexos e a história bem encadeada.É quase como se fossem dois livros completamente diferentes unidos em um. Na segunda parte encontramos lições diversas (e todas na dose certa), experiências onde podemos nos enxergar ou enxergar pessoas que conhecemos emocionam na medida certa. Homossexualidade, amor não correspondido, medo de amar, rejeição de si mesmo, amor próprio, obesidade, preconceitos, encontros e desencontros. Uma delícia de ler e muito o que aprender.
Recomenda bastante. E você, já leu esse livro? O que achou?
ALERTA: Este livro contém gatilho de estupro, então caso o tema seja sensível para você, não leia, ok?
Por June Alves
Anúncios

Sobre junealves

Virginiana fresca, leitora compulsiva de rótulos, aspirante a turista quase profissional, adora um bom restaurante, aprendiz de investidora, louca por produtos de beleza, consumista consciente que tem o hábito de consertar roupas e acessórios. Facilmente comprável com caixinhas, quadrinhos, livros e filmes.
Esse post foi publicado em Livros. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s